Pesquisar este blog

23 de abr de 2011

Cão espera, na porta de um hospital, a volta de seu dono que morreu

Totó está há meses na porta do hospital Azevedo Limal esperando o seu dono

Olhar perdido e choro constante, o vira-lata mais conhecido do Hospital Estadual Azevedo Lima (Heal), Fonseca, em Niterói, revive a história do filme “Sempre ao seu lado”, do diretor Lasse Hallström. Totó, como é chamado pelos funcionários do hospital, está há dez meses na porta da instituição, aguardando o improvável: o encontro com seu dono.

Segundo frequentadores do hospital, o cachorro chegou acompanhado de um senhor de idade, vítima de um atropelamento na Alameda São Boaventura, também no Fonseca. Ele ficou na porta, aguardando o dono e está lá desde junho do ano passado. Os vizinhos do hospital dizem que o paciente faleceu na unidade. Apesar de nenhuma versão oficial, a história é conhecida por todos e propagada, constantemente, como verdadeira.

“Toda vez que um senhor sai do hospital, ele se aproxima e cheira, como não reconhece o cheiro volta para o canto dele e começa uivar como se fosse um choro”, contam funcionários.

A presença de Totó atraiu uma cadela para a porta do hospital e com receio de que outros animais apareçam, a direção da unidade resolveu, segundo funcionários, chamar a Sociedade União Internacional Protetora dos Animais (Suipa) para retirar o animal, caso ele não consiga um lar até sexta-feira.

O futuro de Totó parece certo. Uma pessoa, comovida com a história, ficou de levar hoje o cão para um sítio. A namorada de Totó, no entanto, continua sem destino. A direção do hospital não quis se pronunciar.
Filme - O longa-metragem “Sempre ao seu lado”, de 2009, estrelado por Richard Gere, conta uma história real, que aconteceu no Japão. Todos os dias Hachiko, o cachorro, acompanhava seu dono até a estação de trem e estava lá quando ele voltava para casa. Um dia, o dono sofreu um infarto e morreu. O cachorro ficou aguardando-o no mesmo lugar. Há hoje na estação de Shibuya uma estátua de Hachiko, no lugar onde ele ficava esperando seu dono voltar.

Fonte: jornal.ofluminense.com.br












Garotinho bate em Teixeira e diz que o cartola quer desmoralizar o Congresso

Deputado se referia a retirada de assinaturas em troca de camisetas da seleção

Garotinho alertou que Ricardo Teixeira, além de constar como sócio de 0,1% da empresa gestora da copa de 2014 (COL - comitê organizador local); também consta no contrato do COL, no entanto, que os lucros podem ser distribuídos entre os sócios, sem guardar proporção com a participação societária, ou seja, Teixeira mesmo tendo só 0,1% das cotas do COL, poderá ter 100% do lucro.





Quanto irá receber o COL, na Copa de 2014? Estima-se em R$1 BILHÃO.

22 de abr de 2011

Garotinho diz que não divulgará a lista atualizada de quem assinou pela CPI

"devido ao lobby de Ricardo Teixeira e às pressões de todas as naturezas muitos parlamentares preferem não ter seus nomes anunciados antes do pedido ser protocolado"

"estamos cada vez mais próximos do número necessário"

“Se a Câmara dos Deputados se recusar a investigar o senhor Ricardo Teixeira e seus negócios obscuros na CBF, vou ao Ministério Público pedir que façam aquilo que é competência da Câmara”, concluiu.

Maioria do Supremo deve validar Lei da Ficha Limpa para disputa de 2012

STF tende agora a aceitar que presunção da inocência, uma garantia constitucional, pode ser flexibilizada para os políticos, o que garantirá a aplicação das sanções na próxima disputa pelos votos

Depois de ter concluído que os políticos fichas sujas tinham o direito de concorrer na eleição do ano passado, o Supremo Tribunal Federal (STF) deverá agora dar o aval para que a Lei da Ficha Limpa impeça as candidaturas a partir de 2012. A maioria dos ministros do Supremo já se posicionou abertamente ou de forma reservada a favor da entrada em vigor da lei como forma de moralizar os costumes políticos no Brasil.

O STF deverá se manifestar sobre a polêmica lei durante o julgamento de ações do PPS e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). O PPS protocolou na terça-feira uma ação declaratória de constitucionalidade (ADC). A OAB promete entregar o seu pedido na próxima semana. Caberá ao ministro calouro do Supremo, Luiz Fux, o papel de relator do caso. A novidade nos próximos julgamentos é a tendência à admissão de que a presunção da inocência para os políticos pode ser flexibilizada.

‘Conspira a favor’. Em março, quando o STF decidiu que a lei não poderia ter barrado candidaturas em 2010, Fux deu o voto de desempate, concluindo que a norma fazia mudanças no processo eleitoral e, por esse motivo, deveria ter sido aprovada com pelo menos um ano de antecedência à eleição de 2010, o que não ocorreu.

Fux, porém, já deu entrevistas elogiando a lei. Ele disse que a regra "conspira em favor da moralidade administrativa". No STF, a expectativa é que o ministro indicado pela presidente Dilma Rousseff e recém empossado dê agora um voto favorável à aplicação da lei.

O problema é que há pelo menos dois pontos de grande polêmica na norma que deverão render muito debate no plenário, integrado por 11 ministros. A lei estabelece que os políticos condenados por tribunais não podem ser candidatos. Pela regra, mesmo que um político ainda tenha chances de recorrer de uma condenação ele pode ser impedido de concorrer na eleição.

Arnold Schwarzenegger analisa lançar candidatura a presidente da UE

Notícia motivou risadas em membros da entidade


Bruxelas não acredita no que ouve: o ator dublê de político, Arnold Schwarzenegger, ambiciona dar continuidade à carreira como presidente da UE, ocupando um lugar ao lado de Angela Merkel ou de Nicolas Sarkozy, nas conferências formais do grupo de 27 países.

A notícia de que o ator de origem austríaca foi aconselhado a postular a presidência foi motivo de muitos sorrisos na União Europeia (UE), mas também de uma certa exasperação sobre a imagem que os Estados Unidos têm de Bruxelas.

A ideia "me fez rir", confessou o ex-primeiro-ministro belga Guy Verhofstadt, líder liberal do Parlamento Europeu.

Schwarzenegger, ex "Mr. Universo", amante dos carros de luxo, contrasta radicalmente com a imagem austera e frágil do atual presidente da UE, o belga Herman Van Rompuy, apaixonado pela poesia japonesa e os retiros religiosos.

Aos 63 anos, o ator, que se interroga sobre seu futuro político depois de dois mandatos como governador da Califórnia, foi aconselhado pelo ex-chefe de gabinete Terry Tamminen a lançar-se na corrida europeia.

"Nos próximos anos, a UE precisará de um presidente com uma proposta maior, capaz de unificar a Europa", disse Tamminen à revista americana Newsweek.

"Por que não uma pessoa nascida no continente, que foi para a América e voltou para ser o (George) Washington ou o (Thomas) Jefferson de uma Europa unificada?", acrescentou, em referência aos fundadores dos Estados Unidos.

Uma visão muito americana que "demonstra um desconhecimento total da Europa", segundo Verhofstadt.

"Arnie é um personagem, mas é claro que não compreendeu que o presidente da UE não é eleito. É designado, através de muitas negociações entre os chefes de Estado e de governo dos 27", recorda o britânico Nigel Farage, líder dos 'eurocéticos' na Eurocâmara.

"Schwarzenegger não teria nenhuma possibilidade, uma vez que os presidentes da UE querem uma figura mais discreta possível", destaca Peter Cleppe, do centro de reflexão Open Europe.

O cargo não exige nenhum carisma", acrescentou Cleppe.

Foi criado no final de 2009, para um mandato de dois anos e meio renovável, para dotar a UE de um rosto, mas o candidato mais firme, o ex-primeiro-ministro britânico Tony Blair, foi descartado paradoxalmente por seu peso e influência e o risco de fazer sombra aos líderes da UE.

AFP

Partilha de receitas TV da Serie A Italiana

A temporada de 2010/11 foi a primeira em que os clubes da Serie A venderam os seus direitos televisivos colectivamente, adoptando desta forma o método de venda (leilão) já utilizado pela Premier League de Inglaterra, Bundesliga da Alemanha e Ligue 1 de França.

O sucesso foi tremendo, com os maiores pacotes de direitos de transmissão televisiva a serem adquiridos pela Mediaset e Sky Italia. O leilão dos direitos da Serie A e Serie B geraram um total de 1.822 milhões de Euros pelos próximos 2 anos, estando destinados à Serie B 12% deste valor (cerca de 218,6 milhões de Euros).

Assim, aos 1.603 milhões de Euros previsto para a Serie A, soma-se a venda dos direitos de transmissão internacional, no valor superior a 181,5 milhões de Euros, elevando o valor total disponível para a primeira liga italiana 1.784 milhões de Euros, cerca de 892 milhões de Euros por temporada.


Partilha de receitas TV da Serie A Italiana:

•40% do total repartido em partes iguais pelos 20 clubes da Serie A.

•30% do total repartido em função de resultados desportivos: 10% pela história de resultados do clube, 15 pelos resultados obtidos nos últimos 5 anos, 5% pelos resultados realizados na última época.

•30% do total repartido em função das audiências televisivas: 25% pelo número de adeptos, 5% pelo número de habitantes da cidade da equipa.

No entanto, num país onde as diferenças entre os grandes e os pequenos clubes é enorme, esta partilha de receitas televisivas é a primeira a levar em conta a história e a população da cidade de cada clube, garantindo cerca de 14 milhões de Euros para os pequenos clubes (impensável antes da venda colectiva), mas dando a oportunidade a Inter, Milan, Juventus de alcançar os 90/100 milhões de Euros anuais.


Tarso irá consultar especialistas antes de decidir sobre projeto de lei contra estrangeirismos

Projeto de autoria do deputado Raul Carrion obriga tradução de palavras como smartphone e shopping center

O governador Tarso Genro vai consultar especialistas, antes de decidir sobre o projeto de lei contra o uso de estrangeirismos no Estado, aprovado ontem pela Assembleia Legislativa. Não está descartada a realização de uma audiência pública, segundo informou a assessoria do governador.

Tarso criticou a ridicularização em torno do projeto e lembrou que a França e o território de Quebec tomaram medidas de proteção ao idioma. No entanto, não descartou a possibilidade de vetá-lo em função das dificuldades em sua aplicação.


 
"Nem todos os termos têm tradução", diz gramático

O principal argumento do deputado Raul Carrion, ao defender seu projeto de lei contra o uso de estrangeirismos, é rechaçado pelo gramático Claudio Moreno.
 
— A língua portuguesa não precisa de defesa — garante o professor.

Segundo Moreno, o uso de palavras consideradas estrangeirismos — termo com o qual ele não concorda — tem relação com a influência que toda língua pode sofrer. Para o professor, um projeto como este fere o direito de livre expressão do cidadão.

E faz um desafio:

— Experimente viver sem termos como outdoor, chip, modem, on line, sundae, zoom? Não existe um termo, em português, que possa traduzir o real sentido que damos hoje a essas palavras — explica.

Confira a lista sugerida pelo professor — nem todos os termos tem origem do inglês, mas são considerados estrangeirismos. Que tradução vocês daria a essas palavras?

banner
best-seller
blitz
chip
couvert
crawl
free-lance
geek
hacker
impeachment
influenza
kosher
modem
nerd
on line
outdoor
paparazzi
pen drive
pizzaiolo
rally
spa
sundae
swat
zoom
chat

Do clicrbs

E SE AO INVÉS DO AÉCIO FOSSE O LULA?

O Aécio dirige bêbado e a
imprensa corre pra abafar
E SE
AO INVÉS DO AÉCIO
 FOSSE O LULA?


21 de abr de 2011

Blogue-se

Estudante é preso na UFSM após espalhar conteúdo discriminatório na internet

Um estudante da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) foi detido pela Polícia Federal na manhã do último sábado. O universitário, de 34 anos, já era investigado pela Polícia Civil.

Ele foi preso após denúncia feita à Ouvidoria da UFSM por "comportamento estranho" e divulgação de material contendo supostas ameaças à ordem pública na internet. Os policiais cumpriram mandado de busca e apreensão no apartamento do suspeito, que morava na Casa do Estudante, no Campus.

Segundo a PF, ele teria um perfil falso em uma página de relacionamentos na internet com conteúdo discriminatório contra africanos, judeus e mulheres. Em uma das comunidades do site, há uma mensagem pregando o "fim da raça humana", defendida por uma suposta organização denominada "Frente Anti-humana

O detido foi encaminhado ao Hospital Psiquiátrico da Universidade e depois ao Instituto Psiquiátrico Forense (IPF), em Porto Alegre.
O reitor da UFSM, Felipe Müller, confirmou o caso e afirmou não haver motivo para pânico. Müller também disse que não há razão para comparar o comportamento com o de Wellington Oliveira de Menezes, o atirador que matou 12 adolescentes em uma escola no bairro Realengo, no Rio de Janeiro, no último dia 7. "Uma denúncia chegou à Ouvidoria e, a partir disso, foram averiguados os fatos. Como já havia outra situação em que ele teria se envolvido, contatamos com o Ministério Público, que acionou a Polícia Federal, que realizou a prisão", explicou Muller.

O universitário foi militar do Exército, fez curso na Academia Militar das Agulhas Negras (Aman) e foi desligado. Segundo Schneider, o suspeito tentou resistir à prisão, sendo preciso o uso de algemas para encaminhá-lo ao hospital.
 
Jornal A Razão

20 de abr de 2011

O COLUNISMO HIPERGLICÊMICO DE UM JORNALZINHO BEM RUINZINHO


Clique aqui e empanturre-se de glicose.

Robin diria: "Sandra madre da cana de açucar"
Já o "seu saraiva" diria: Ela acre-di-tooouu"


Visto no impágável CLOACANEWS, com o título modificado.

Câmara aprova projeto que regulamenta lan houses

O texto prevê que os estabelecimentos sejam obrigados a registrar nome e identidade dos usuários, mas não prevê punições.


O projeto ainda precisa ser votado no Senado antes de virar lei.

O texto incentiva a legalização das lan houses e determina que elas criem instrumentos para impedir o acesso de menores a conteúdos adultos.

Os estabelecimentos terão ainda prioridade no acesso às linhas de financiamento especiais da administração pública para aquisição de computadores, de acordo com a proposta.

De acordo com o deputado federal Otávio Leite (PSDB-RJ), relator do projeto na Câmara, quem ganha com a regulamentação das lan houses é o usuário. "As lan houses poderão se equipar melhor, firmar parcerias com o poder público e elas passarão a ter uma vida dentro da ordem jurídica. Sairão dessa situação à margem da sociedade", disse o deputado ao G1 após a aprovação do projeto.

Otávio leite afirmou que a estimativa é que 48% dos brasileiros acessem a internet por meio de lan houses. Na área rural, segundo ele, o índice chega a 58%.

"A regulamentação é importante porque define a lan house como um estabelecimento que oferece serviço de locação de computador para acesso à internet. Antes, as lan houses eram concebidas como casas de jogos, o que não é o caso. As lan houses deixam de ser o gueto do proibido e passam a ser centros de inclusão digital", afirmou o relator.

Assembleia do RS aprova lei que determina tradução de termos estrangeiros

Margem para a aprovação desta lei inútil foi de 26 x 24

O projeto estabelece a obrigatoriedade da tradução de expressões ou palavras estrangeiras para a língua portuguesa sempre que houver no idioma uma palavra ou expressão equivalente.

A proposta, do deputado Raul Carrion (PCdoB), seguirá agora para a sanção do governador Tarso Genro.

O projeto foi aprovado com duas emendas. Uma que exclui os nomes próprios dessa determinação, e outra que determina que todos os órgãos, instituições, empresas e fundações públicas poderão priorizar na redação de seus documentos oficiais, sítios virtuais, materiais de propaganda e publicidade, ou qualquer outra forma de relação institucional através da palavra escrita, a utilização da língua portuguesa.



Discussão

Carrion disse que o projeto procura defender a Língua Portuguesa da "desnecessária superficial utilização de termos estrangeiros". Citou o termo "Sale", muitas vezes usado para apresentar uma liquidação em grande parte das lojas. Fez questão de ressaltar que objetivo não proíbe o termo em inglês ou outra língua, mas exige a tradução.


Frederico Antunes (PP) alegou que não compreendia o interesse do autor em propor uma alteração legislativa para mudar formas e expressões que já são utilizadas pela sociedade. “Estamos debatendo algo de menor relevância. Estamos pedimos a tradução de algo que lemos diariamente. A grande maioria desses termos já consta no Dicionário Aurélio”, frisou.

Correio do Povo

Justiça do Rio solta 40 presos da Operação Guilhotina

Os desembargadores da 7ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) concederam habeas-corpus a 40 pessoas, entre policiais civis e militares, presos na Operação Guilhotina, da Polícia Federal (PF), realizada em fevereiro.

Entre os presos que ganharão liberdade está o ex-subchefe da Polícia Civil Carlos Antônio de Oliveira. O grupo é acusado de formação de quadrilha armada, peculato, corrupção passiva, comércio ilegal de arma de fogo e extorsão qualificada. Os alvarás começaram a ser emitidos hoje.

O advogado Ubiratan Guedes, que defende Oliveira e os policiais Leonardo da Silva Torres e Ricardo Afonso Fernandes, pediu o habeas-corpus sob alegação de que a prisão preventiva foi decretada de forma genérica, sem que tivesse sido especificada a situação de cada acusado. Depois de conceder a liberdade para os três policiais, os desembargadores decidiram estender o benefício aos outros 37 presos - ao todo, 47 foram denunciados, mas nem todos estavam presos.

O relator do habeas-corpus, desembargador Sidney Rosa da Silva, escreveu que não basta elencar os motivos que são determinantes para a prisão - como a necessidade de garantia da ordem pública. Para ele, é "indispensável observância quanto à prova da existência dos fatos concretos que conduziram a sua convicção".

De acordo com a denúncia, os policiais civis e militares e seus informantes formaram quatro grupos distintos de agentes criminosos. "Dois deles voltados à prática conhecida como `espólio de guerra', consistente na subtração de bens apreendidos em incursões policiais e posterior fornecimento de armas e munições a traficantes de drogas; um terceiro grupo em exercício de atividade conhecida como `milícia', juntamente com a do mencionado `espólio de guerra'; e um último conjunto de elementos adeptos à prática de `segurança privada' de atividades criminosas".

http://br.noticias.yahoo.com

18 de abr de 2011

Deputado do PDT que rejeitou benefícios cria inimigos na Câmara

Maurício Savarese
Do UOL Notícias

"- Eu quero falar sobre as minhas propostas. As propostas."
UOL
Deputado proporcionalmente mais votado do país aos 38 anos de idade, José Antônio Reguffe (PDT-DF) quer evitar rótulos mas se tornou um incômodo para vários colegas.
 
Novato, abriu mão de uma série de benefícios. Defensor do Corte de mordomias, é chamado de demagogo e de Dom Quixote por (muitos) adversários.

Com mais de 266 mil votos, ou 19% dos eleitores no Distrito Federal, o economista carioca ganhou destaque na Câmara Distrital durante o escândalo que levou à queda do então governador, José Roberto Arruda. Lá, tomou medidas semelhantes às que adotou no Congresso Nacional no início de seu primeiro mandato.

Abriu mão dos 14º e 15º salários, rejeitou a cota de passagens aéreas, fixou em nove o número de assessores de gabinete –poderiam ser 25–, e descartou receber qualquer verba indenizatória até o fim do mandato.

"- Se o político faz algo errado, jogam pedra. Se faz o que é certo, querem julgar a intenção. Eu pelo menos estou fazendo a minha parte. Tudo que eu proponho eu dou exemplo antes no meu gabinete", disse Reguffe ao UOL Notícias.

"- Quem dera tantos fossem demagogos como eles acham que eu sou. O contribuinte agradeceria. A população hoje não acredita na classe política. Isso é culpa dos personagens, por desvios éticos inaceitáveis. Mas também é culpa do sistema como um todo. Um sistema que os políticos profissionais não querem mudar."

De acordo com cálculos do pedetista, ao final do seu mandato ele terá economizado aos cofres públicos mais de R$ 2,3 milhões com suas medidas. Se todos os 513 deputados tomassem as mesmas iniciativas, a economia seria de mais de R$ 1,2 bilhão –embora esteja nesse valor o auxílio-moradia, fundamental para parlamentares de fora de Brasília.

"- Podem me criticar por qualquer coisa, menos dizer que eu não fiz no meu mandato exatamente o que disse que ia fazer na minha campanha”.

"- Isso que fiz é compromisso de campanha."


Veja todos os requerimentos em

Governo e propostas

Um dos alvos do deputado é o projeto do trem-bala entre RJ e SP, aprovado esta semana e que destinará R$ 20 bilhões em financiamento do BNDES a uma obra que ele considera "uma corrupção das prioridades". “Temos que investir em educação, saúde e segurança pública. Não é prioridade construir um trem”, disse ele, pausadamente, por conta de uma gripe pesada, mas que não o impediu de ir às votações na Câmara na quarta-feira (13).

Ao lado de deputados que fazem piada do seu jeito, ele atua na comissão pela reforma política com uma proposta para impor limites na reeleição dos colegas e financiamento público de campanha, com possibilidades idênticas para todos os partidos: "- Tem de ganhar pelo conteúdo, e hoje é uma competição para arrecadar", avalia.

Cheio de ideias, ele defende o fim da assinatura básica de telefone, água e luz. Os planos de saúde também atraem a antipatia do pedetista. "Precisam ser fiscalizados", afirmou.

Veja também:


Pânico na TV condenado a pagar R$ 100 mil por brincadeira das baratas

Saiu o acórdão. Alguns sites noticiaram o exagero da quantia que teria sido fixada em 500 salários.

Na verdade o valor foi reduzido.


O STJ disse que programa passou dos limites da brincadeira, nem se preocupou em esconder o rosto da autora e que o uso da imagem não foi consentido.

Referiu que neste caso, a" punição deve ser exemplar", para que o programa não volte a fazer a brincadeira.