Pesquisar este blog

18 de fev de 2011

Colunista deve pagar R$ 100 mil à filha do ex-presidente Lula

O ministro Luis Felipe Salomão, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), majorou o valor de indenização por danos morais a ser paga pelo colunista Gilberto Luiz di Pierro, conhecido como “Giba Um”, à Lurian Cordeiro Lula da Silva, filha do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva. O colunista publicou em seu site diversas notícias consideradas “de forte carga valorativa” sobre Lurian e o ex-prefeito da cidade de Blumenau (SC) Décio Nery de Lima. A indenização passa de R$ 10 mil para R$ 100 mil.

Lurian e Décio Lima ajuizaram ação de indenização contra “Giba Um” devido a uma série de publicações em seu site expondo os dois com narrativas tendenciosas, “as quais fazem parecer que a segunda requerida, filha de líder político notório e que à época concorria ao cargo de presidente da República, restou beneficiada de forma escusa pelo primeiro requerido [Lima], antigo prefeito da cidade de Blumenau”.

Em primeiro grau, o colunista foi condenado ao pagamento, a título de indenização por danos extrapatrimoniais, no valor de R$ 10 mil para cada um. O Tribunal de Justiça de Santa Catarina, ao julgar a apelação, manteve a sentença.

Inconformada, Lurian interpôs recurso especial, sustentando que o valor de R$ 10 mil arbitrado a título de danos morais é irrisório. Entretanto, o tribunal estadual negou seguimento ao recurso. Ela, então, recorreu ao STJ.

Ao majorar o valor da indenização, o ministro Luis Felipe Salomão levou em consideração a gravidade do dano, a reincidência do ofensor (notícias e comentário diversos veiculados no site), a extensão do dano, a posição profissional e social de Lurian (jornalista autônoma e filha do ex-presidente da República) e a posição profissional do ofensor.

Segundo o ministro, no caso, o valor arbitrado pelas instâncias de origem não cumpre os dois objetivos de desestímulo e compensação, motivo pelo qual o valor dos danos morais merece majoração pra R$ 100 mil.

Coordenadoria de Editoria e Imprensa do STJ





17 de fev de 2011

Vigilância interdita lanchonete do McDonald's no RS

Uma lanchonete do grupo McDonald's, localizada em um shopping da região central de Porto Alegre, foi interditada nesta quinta-feira (17) por fiscais da Vigilância Sanitária municipal. Segundo a Vigilância Sanitária, a vistoria foi feita após denuncia de um dos usuários do estabelecimento. Na loja do Shopping Rua da Praia, na Praça da Alfândega, os fiscais encontraram muitas baratas na cozinha do restaurante.

A interdição será mantida até que o estabelecimento realize a desinsetização e informe a Vigilância, que fará nova vistoria no local para atestar a higiene na lanchonete. Em nota, o McDonald's informou que "preza pela qualidade e segurança alimentar de seus produtos e já está providenciando o pronto atendimento das solicitações da Vigilância Sanitária".
http://www.hojeemdia.com.br/


16 de fev de 2011

A prefeitura de Porto Alegre e a rádio gaúcha

Lucas Panitz, geógrafo, escreveu:

Eis que ligo para a Secretaria Municipal de Esportes, para saber da programação de atividades esportivas gratuítas no Parque Ramiro Souto (Redenção), e nas quatro vezes sou colocado em modo de espera. Até aí, nada de novo no mundo do atendimento telefônico. O problema é que a espera foi direcionada ao audio da Rádio Gaúcha AM, não só com seus noticiários, mas principalmente com as insistentes propagandas. Meus telefones foram atendidos, direcionados imediatamente para uma rádio privada, sem que eu pudesse falar com ninguém, e logo após um grande silêncio telefônico me fez desistir em todas as vezes que liguei. Resultado, ouvi a Rádio Gaúcha, mas não consegui a informação pública que necessitava.

Pergunto: acima de toda a incompetência de não atender aos seus cidadãos (que nesse caso é só um “detalhe”), a Prefeitura de Porto Alegre não poderia direcionar seu sistema de espera para uma rádio pública (Rádio da Universidade, Rádio FM Cultura, etc), uma vez que trata-se do poder público permitindo a veiculação de notícias e propagandas de uma empresa privada? E não bastasse isso, qual seria o motivo de a Prefeitura ter escolhido a Rádio Gaúcha AM e não a Rádio Guaíba ou a Rádio Bandeirantes, ou qualquer outra, para veicular suas notícias e patrocinadores privados enquanto esperamos para obter uma informação?


http://rsurgente.opsblog.org/2011/02/15/a-prefeitura-de-porto-alegre-e-a-radio-gaucha/

15 de fev de 2011

Receita original da Coca-Cola é descoberta 125 anos depois, diz site

A receita da Coca-Cola, guardada sob sete chaves pelos proprietários da empresa durante 125 anos, deixou de ser um mistério, segundo um site que afirma ter descoberto os ingredientes em uma página esquecida de jornal.


Como publicada nesta terça em seu site pelos produtores do programa de rádio "This American Life", a fórmula original do refrigerante mais popular do mundo estava na fotografia que ilustrava um artigo sobre a história da Coca-Cola, publicado no jornal "Atlanta Journal Constitution" de 1979.


A imagem mostra uma lista de ingredientes escritos de próprio punho em 1886 por um amigo do criador da bebida, John Pemberton, em um livro de boticário passado de geração em geração que atualmente estava com uma mulher em Griffin (Geórgia), conforme "Thisamericanlife.com".


A Coca-Cola, que mantém a versão oficial de sua receita em um cofre em Atlanta que só dois funcionários têm a chave, não confirmou se a composição publicada é a correta.

Da lista publicada, a parte mais reveladora é a que explica como misturar o 7X, uma substância que só representa 1% da bebida, mas que é crucial para dar o sabor característico.

Para a mistura do famoso ingrediente secreto são necessárias oito onças (cerca de 30 ml) de álcool, 20 gotas de óleo de laranja, 30 gotas de óleo de limão, dez de óleo de noz moscada, cinco de óleo de coentro, 10 de óleo de neroli - das flores da laranjeira amarga - e 10 de óleo de canela.

O restante da bebida é elaborado com três onças de ácido cítrico, duas onças e meia de água, uma de cafeína, uma de baunilha, duas pitadas de suco de lima, uma onça e meia de bala para dar cor e uma quantia de açúcar que é ilegível na lista.

A receita original inclui três copos de extrato de fluído de coca, um ingrediente que a companhia retirou do composto no início do século 20 após uma série de críticas.

Resta saber se, além da eliminação desta substância, os proprietários da Coca-Cola aplicaram modificações substanciais na fórmula desde que Pemberton a projetasse.

Para tentar comprová-lo, a equipe do programa radiofônico reuniu um grupo de analistas e amantes da bebida em uma degustação da mistura obtida pela receita.

Segundo o site, a maioria dos que provaram não encontravam diferenças da Coca-Cola comercializada. "Acho que esta é de verdade uma versão da fórmula", disse ao programa o historiador Mark Pendergrast, autor de uma história da bebida.
 
A receita está em



Ouça a matéria em

http://br.noticias.yahoo.com/s/15022011/40/economia-receita-original-da-coca-cola.html

USE

video