Pesquisar este blog

6 de mar de 2011

“Sujeito da esquina” fez o Pibão bão"

A pior coisa que poderia ter acontecido ao Brasil foi o Pibão bão de 7,5%.

Uma desgraça inapelável.

É o que se deduz da leitura do PiG (*) nesta manhã de infortúnios sucessivos.

O investimento é pífio.

A inflação saiu do controle.

O corte é insuficiente.

Falta infra-estrutura.

A safra vai apodrecer no Porto de Paranaguá, disse o Ali Kamel, no jornal nacional.

O BC não vai dar conta de suas responsabilidades.

O FMI sai da tumba, diz que o Bolsa Família é um exemplo para o mundo, mas, mas, mas o Brasil vai explodir numa crise de super-aquecimento.

A leitura atenta do PiG (*) e de seus notáveis colonistas (**) leva à conclusão de que ser maior do que todos os países da Europa – menos a Alemanha – é como viver em Benghazi.

Ser a sétima economia do mundo … só ? – perguntará o Cerra no twitter.

Porém, num imperdoável descuido, o Valor, na pág. A3, revela traços interessantes do perfil do Pibão (essa inominável desgraça):

No último trimestre de 2010, a demanda interna cresceu 2,5%.

Este último trimestre de 2010 foi o 29º. trimestre consecutivo de crescimento do consumo das famílias.

O consumo das famílias subiu 13% entre o terceiro trimestre de 2008 (quando começou a crise americana e a urubóloga anunciou o tsunami que ia afundar o Brasil) e o ultimo trimestre de 2010.

13% desde a crise terminal da urubóloga !

No período, o PIB cresceu 5,6%.

Ou seja, o “sujeito da esquina”, como diria o Soberano ex-Supremo Presidente Supremo do Supremo, Gilmar Dantas (*), “sujeito da esquina” comprou num ritmo de crescimento duas vezes superior ao crescimento do resto da economia.

Sobre este desprezível “sujeito da esquina”, leia aqui para ver como o Gilmar Dantas o trata.

Este desprezível “sujeito da esquina” provocou os seguintes estragos na economia brasileira.

Fez a intermediação financeira subir 11%.

Ou seja, o crédito ao consumidor, a troca do automóvel, a compra do Minha Casa (programa que não será atingido pelos cortes).

O “sujeitinho da esquina” provocou uma expansão do comércio de 7,5%.

E da construção civil de 6,2%.

Um horror !, diria o Prates.

Onde já se viu “sujeito da esquina” comprar carro e casa própria ?

“Sujeitinho” nefasto, esse.

O “sujeito da esquina”, amigo navegante, deve ser a Classe C, que, para os tucanos, fica entre a Primeira e a Business.

A Classe C que, segundo o Nunca Dantes, será conduzido à Classe B pela JK de saias, não demora muito.

Antes que este ansioso blogueiro se esqueça, consulte, amigo navegante, a tabelinha do Lula 10 x 0 Cerra-FHC.

Ela compara o desempenho fulgurante do Nunca Dantes com os anos sombrios da dupla Cerra-FHC.

A Folha (***), na capa, já decretou que o crescimento da economia este ano será inferior a 4%.

De onde a Folha (***) tirou isso, não se sabe.

Deve ser informação que veio da mesma fonte da ficha falsa da Dilma.

Vamos ver se o PiG (*) consegue destruir o “sujeito da esquina”.

Afinal, ele não dá bola para o PiG há três eleições.

Paulo Henrique Amorim

(*) Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político – o PiG, Partido da Imprensa Golpista.

Nenhum comentário: